top of page
  • Foto do escritorRedação

Atleta e professor da MKBJJ fecha 2023 com Sulamericano, SP Open e GP do ranking FPJJ

Confira como foi a movimentação do ano de 2023 para o faixa preta e professor da equipe MKBJJ, em São Paulo


Crédito: Assis Fotografia


O ano de 2023 para o atleta e professor Alex Jordys, de 37 anos, foi promissor. Ele, que já tem uma caminhada de 4 anos como faixa preta, no último trimestre deste último ano, conseguiu alcançar vitórias excepcionais, como o Sul-Americano da IBJJF, no mês de setembro, o São Paulo Open também da IBJJF, e por fim, levou pra casa também o GP do Ranking FPJJ, fechando o ano com 4 mil reais no bolso com a premiação.  


Alex Jordys fez de 2023 um ano de muito trabalho duro. Além de ser um dos líderes e  ministrar aulas de jiu-jitsu na academia MKBJJ, ele também é pai, trabalha de 8 a 10 horas por dia numa seguradora e compete aos finais de semana. Levou outros campeonatos importantes em 2023, como a segunda e terceira etapas do Paulista FPJJ, Brasileiro No GI CBJJE, e vice campeão absoluto Mundial No GI CBJJE.


Ao conversar conosco, ele nos dá uma visão geral de como foi seu 2023:


"Em 2023, experimentei um ano de superação e retorno após uma lesão grave em 2022, que me obrigou a ficar seis a oito meses em repouso, passar por uma cirurgia no joelho, voltar, fortalecer e posteriormente recuperar a confiança para retornar ao jiu-jitsu. 


Durante esse ano, conquistei o título de campeão brasileiro com e sem kimono na CBJJE e fui vice-campeão absoluto no Mundial Nogi também da CBJJE. Na Federação Paulista, ganhei a segunda e terceira etapas do Circuito Paulista, bem como o título do GP da FPJJ, um torneio que reúne os campeões para disputarem entre si. 


Na CBJJ e IBJJF, destaco as vitórias no SP Open com e sem kimono, assim como nos eventos SP Pro e Sul-americano. Apesar de todos os desafios enfrentados, mesmo sem um patrocínio oficial ou uma receita específica para os campeonatos, mantive minha participação ativa, contando com o apoio de parceiros e amigos, como a Conflict Kimonos e BiGIM Pneus. 


Agradeço a todos que têm treinado comigo, alguns estão comigo há muito tempo mesmo. Apesar da vida agitada, ministrando aulas de jiu-jitsu, trabalhando oito a dez horas por dia em uma seguradora, sendo pai e conciliando todos esses compromissos, consegui alcançar resultados positivos nos campeonatos, graças ao esforço, à fé, à família e a diversos trabalhos. Encerro o ano de 2023 com um saldo bastante positivo, graças a Deus!"


Para 2024, ele pretende manter o ritmo de competição, manter o ritmo de treino e, além de lutar, levar os alunos para lutarem também. Além disso, quer  começar a rodar o circuito estadual e, no futuro, levá-los também para os eventos da IBJJF.


Seu foco principal no primeiro semestre é chegar bem o brasileiro e, no final do ano, chegar no sul-americano, que são os principais campeonatos que temos no circuito nacional.


209 visualizações2 comentários
bottom of page